O mercado imobiliário foi um dos setores mais promissores de 2021 e fechou o ano com números e recordes excelentes! Segue uma análise dos fatores que contribuíram para o ano ser tão aquecido, como a baixa taxa Selic, a transformação digital que vem ocorrendo em alta velocidade e a mudança no perfil do consumidor.

Principais acontecimentos:

  • O ano iniciou com taxa Selic histórica de 2%, mas com o decorrer dos meses, e para controlar a alta da inflação, finalizou com 9,25%.
  • Ainda assim, foi o melhor ano para o setor imobiliário, que só nos 9 primeiros meses teve um crescimento de 35,3%.
  • Super aquecido, o setor foi procurado como alternativa de renda durante a pandemia. Foram mais de 30 mil novos corretores e cerca de 9 mil novas imobiliárias abertas.
  • Um outro acontecimento importante, foram os índices de reajuste. O IGP-M acumulou alta de 16,77% no ano e de 17,89% em 12 meses, e desde o ano passado imobiliárias passaram a utilizar o IPCA como uma alternativa para reajustar os alugueis, que também atingiu dois dígitos, fechando 2021 em 10,42%, maior acumulado em um ano desde 2015.
  • Apesar do aumento da taxa Selic, do IGP-M e do IPCA, o mercado imobiliário se manteve resiliente, atingindo recordes de 22,5% nas vendas37,6% em novos lançamentos, aumento de 38,6% no crédito imobiliário e criando mais de 310 mil vagas de emprego registradas.
  • Programa “Casa Verde e Amarela” também sofreu alterações, e aumentou o teto do valor do imóvel em até 15%, de acordo com a região e o tamanho da população, além de uma diminuição de até 0,5% na taxa de juros.
  • construção Civil também foi afetada com o valor alto dos insumos, regidos pelo INCC. A inflação medida pelo indicador ficou em 14,03% em 2021.
  • Outro acontecimento que também não deve ficar de fora, é a corrida pela expansão no mercado dos unicórnios, liderados pela Loft e Quinto Andar, que adquiriram várias empresas como os portais 123i e ImovelWeb.
  • Como consequência da pandemia, o ministro Luís Roberto Barroso estendeu a suspenção dos despejos até 31 de março de 2022.
  • Por último, vale ressaltar o impacto da chegada do metaverso no mercado imobiliário, onde foram vendidos dois terrenos virtuais na plataforma Decentraland, que é uma espécie de mundo online, onde as pessoas visitam lugares virtuais e fazem compras com criptomoedas. O valor total da venda dos terrenos chegou a R$ 31 milhões

 

Fonte: https://www.imobzi.com/papoimobiliario/retrospectiva-do-mercado-imobiliario-em-2021/