Em 1970 foi criada nos EUA, uma estratégia que utiliza de uma técnica de marketing imobiliário denominada de Home Staging, que basicamente é um conceito de valorizar as qualidades do imóvel, produzindo e decorando, para tirar as fotos do anúncio. Para que você entenda melhor, pense em uma “maquiagem”, não no sentido ruim, e sim no sentido de realçar a beleza antes despercebida, fazendo o imóvel ganhar uma “cara nova” e se tornar mais atrativo para a compra ou locação.

Apesar dessa técnica já ser praticada nos Estados Unidos desde a década de 70, só agora vem ganhando espaço aqui no Brasil. Tanto é, que uma pesquisa realizada pela maior associação de comércio dos Estados Unidos National Association of Realtors, revelou que 53% dos agentes imobiliários perceberam que o Home Staging diminuiu o tempo de um imóvel disponível no mercado.

Fernanda Fertes, presidente da Shortstay, uma plataforma brasileira especializada no aluguel de apartamentos e flats mobiliados, também notou tal diminuição: “vimos que apartamentos que já estavam conosco há mais tempo, parados no site, quando propusemos para os proprietários fazer fotos novas e com Home Staging, tivemos um resultado muito bom, em poucos dias eles já eram escolhidos”.

No mercado há 8 anos, a empresa curitibana, afirma que durante a pandemia, sentiu que o investimento na modalidade Home staging foi ainda mais importante para as pessoas alugarem os imóveis, visto que a maioria foi locada sem qualquer visita física. O sucesso foi tanto que criaram um departamento específico para melhorar os imóveis de locação, a Shortstay Design.


O objetivo do Home Staging é oferecer não apenas um imóvel, mas uma “experiência de venda ou aluguel”. É como define a arquiteta e urbanista Ana Flávia Braz, da AnaFla Braz Arquitetos. “A proposta do Home Staging é realmente dar ao interessado em comprar ou alugar um imóvel a possibilidade dele se visualizar vivendo naquele espaço, isso facilita a decisão dele”, explica.


Voltando a pesquisa, outro dado interessante, é que 82% dos agentes imobiliários percebem que o Home Staging torna mais fácil que o comprador consiga visualizar a propriedade como uma futura casa. Como acontece hoje com os lançamentos, que exibem o imóvel decorado para que o comprador possa se visualizar morando no imóvel.

Mas como todas as coisas, o Home Staging também tem seus desafios. O principal deles é descaracterizar o ambiente com a personalidade do antigo dono e, ao mesmo tempo, criar uma atmosfera que agregue conforto e decoração afetiva. “Criar uma atmosfera impessoal, mas com memórias afetivas, porque também não podemos deixar tão frio a ponto do cliente não se enxergar ali dentro”, destaca Ana Flávia.

Para isso é necessário adotar algumas estratégias, seja para visita presencial ou fotos que serão expostas nos anúncios. Uma delas é a de retirar objetos que contém a identidade do proprietário do imóvel, como por exemplo os itens de higiene pessoal e porta-retratos. Em seguida, o critério é criar experiências afetivas de aconchego. Por isso na cozinha, você pode colocar itens decorativos de comida, como um pão fatiado e uma fruteira bonita. Na sala de jantar, a mesa posta com as louças. No quarto e banheiros, priorizar a higiene, roupa de cama e toalhas claras, combinadas em conjuntos. A luz também é importante, luzes mais quentes transmitem a sensação de acolhimento. Itens decorativos, como quadros, objetos e luminárias, também são bem-vindos para se investir no ambiente do lar. O imóvel deve parecer vivo, aconchegante e habitável.

Depois de pronto, vem a foto

Depois de reorganizar o imóvel com a técnica do Home Staging, entra em cena outra estratégia de marketing que é essencial para alavancar a possibilidade de venda ou aluguel: as imagens do imóvel. Essa é, na maioria das vezes, o primeiro contato do cliente com o imóvel.

Bruna Melnic, arquiteta e urbanista da AnaFla Braz Arquitetos, destaca que por meio da fotografia e vídeo, também é possível criar estratégias para salientar os pontos positivos da casa ou apartamento. Para isso, é importante investir em boa iluminação, como um período claro do dia para evidenciar a entrada de luz natural, e bons ângulos do espaço, que apresentem a amplitude dos ambientes. “É muito importante que as fotos sejam profissionais, com boa iluminação. São estratégias de venda de forma que o ambiente seja bem apresentado para o cliente”.


Home Staging é um diferencial tanto para aluguéis de pequena duração, como oferecido nas plataformas Shortstay e Airbnb, quanto para venda de imóveis. Independentemente do formato, as arquitetas apontam como uma tendência de mercado a busca por praticidade, conforto e novas experiências de moradia.

 

Fonte: https://www.imobzi.com/papoimobiliario/estrategia-do-marketing-imobiliario-para-vender-mais-home-staging/