Qualquer corretor de imóveis hoje sabe que precisa estar alinhado à tecnologia para sobreviver no mercado imobiliário. O que muitos podem ainda não saber é a quantidade imensa de oportunidades disponíveis, como as Proptechs. O termo, uma abreviação de Property Technology, é uma designação geral para as inovações tecnológicas e mudanças digitais do mercado imobiliário. No entanto, tem sido mais usado para definir startups e empresas que estão usando a tecnologia para oferecer novos produtos, serviços e modelos de negócios. E muitos deles podem ajudar o corretor a ir mais longe no mercado. Ou seja, as Proptechs são as Fintchs do mercado imobiliário. Elas usam tecnologias como IA, internet das coisas, blockchain, drones e sistemas de gestão imobiliária para transformar o mercado.

Números revelam o crescimento

E estão conseguindo. Em boa parte deve-se a elas os bons resultados do mercado imobiliário mesmo com a crise do coronavírus. Enquanto cerca de 1 milhão de empresas fecharam as portas em 2020 por causa da pandemia, segundo o Ministério da Economia, várias Proptechs não só surgiram como cresceram durante o mesmo período. É o que mostra o estudo Terracotta Ventures: um aumento de 23% no número de Proptechs em 2020 em relação a 2019. Assim, mesmo com pandemia a todo vapor, o setor teve resultado mais do que positivo. De acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Abic), o mercado imobiliário fechou o ano com alta de 9,8% nas vendas.

Como surgiram as Proptechs

Embora muitas Proptechs tenham surgido em 2020 no mercado nacional, na verdade já caminhando para a terceira onda do movimento. A primeira ocorreu na década de 80, com o CAD (Desenho Assistido por Computador), softwares de análise de dados, modelagem e gestão de empreendimentos. Estamos vivendo a segunda onda, com um impulso nunca visto antes em tecnologia a custos bem mais baixos. O pontapé inicial foram as multiplataformas, comércio eletrônico global, soluções B2B no modelo SaaS para compra, softwares de código aberto, redes sociais e ferramentas que permitem um alcance praticamente ilimitado de pessoas. Assim, muito provavelmente você, corretor, já usa um ou muitos Proptechs há muito tempo e nem sabe. O CRM que o ajuda fidelizar clientes, o sistema integrado aos portais imobiliários, o funil de vendas, a pesquisa inteligente e a assinatura digital do contrato são alguns deles.

Então qual é a novidade?

Depois disso tudo você deve estar pensando qual é a novidade, então. A questão é justamente o movimento dessa terceira onda, na qual já tem bastante gente surfando. Essas startups inovadoras estão mudando as regras do jogo e abrindo um leque de oportunidades a passos largos. Para se ter ideia, só nos últimos quatro anos surgiram mais empresas do tipo do que nas duas décadas anteriores. Os dados, do Distrito Proptech Report Brasil 2020 mostra que as Proptechs atuam nos quatro maiores players do mercadoconstrutoras, incorporadoras, imobiliárias e stand de vendas. O corretor ou imobiliária que não se alinhar a essas tendências, com certeza vai perder espaço e desaparecer no mercado. Não é preciso ir muito longe para entender por quê. Uma das Proptechs mais conhecidas é a Quinto Andar, a imobiliária digital que revolucionou a locação e depois a compra e venda de imóveis. Ela facilita tanto a vida das pessoas que se rapidamente se tornou um exemplo a ser seguido. O match de perfis e interesses que faz para aproximar as partes interessadas no negócio é uma espécie Rede Social de Negócios. Assim, da mesma forma que o cliente encontra rapidamente o que procura, o corretor amplia seu leque de oportunidades para não perder um negócio.

Conheça algumas das Prospects de mais destaque no mercado

Algumas Proptechs atuam diretamente com o público, abrindo caminhos para novos modelos de negócios. Outras, o entanto, podem ajudar o corretor a alavancar suas vendas. Conheça algumas das mais interessantes do mercado nacional:

 

  • Yuca – Startup de coliving em São Paulo. Oferece um pacote fixo juto ao aluguel (IPTU, condomínio, água, luz, internet, gás e limpeza). Atua em todo o processo, desde a aquisição do imóvel até a reforma. De unidades compartilhadas, passou a oferecer unidades individuais por causa da pandemia;
  • Atta – A plataforma independente de crédito imobiliário e garantias locatícias usa a tecnologia para desburocratizar o acesso aos financiamentos imobiliários, ajudando a emponderar corretores, imobiliárias e incorporadoras;
  • LegAut – Usa machine learning para otimizar e organizar documentos de clientes que intermediar grandes quantidades de negócios imobiliários, como as imobiliárias;
  • Glebba – Plataforma de crowdfunding imobiliário para loteamentos, incentivando pequenos investidores.

 

Prós e contras das Proptechs

Claro que como praticamente tudo na vida, mesmo as Proptechs também têm seus prós e contras. Um dos problemas é a necessidade de validação de aperfeiçoamento de alguns modelos de negócios, justamente por serem inéditos. Isso, no entanto, só pode ser resolvido com o próprio movimento de mercado e sendo feitas as adaptações conforme forem sendo necessárias. Mas sem dúvida os prós são muito maiores. A renovação do mercado, a abertura de novas oportunidades, a otimização de processos, o ganho de praticidade, de tempo e até a redução de custos gerais inegavelmente são pontos a favor. Só não vê quem insiste em se manter nos moldes tradicionais do mercado imobiliário.

 

Fonte: https://www.imobzi.com/papoimobiliario/o-que-sao-proptechs/?utm_source=ActiveCampaign&utm_medium=email&utm_content=O+que+s%C3%A3o+Proptechs%3F+%23246&utm_campaign=Papo+imobili%C3%A1rio+-+Newsletter+%23246